sexta-feira, 27 de abril de 2018

Viagem












Estou no lugar de sempre
Ainda nem acordei direito
E como sempre, no mesmo quarto de sempre
Com os lençóis ensanguentados de tristeza

Viro pro lado e lá estão elas:
As ríspidas lembranças afiadas
Que maldosamente expulsam
Minha sanidade lilás
E aos poucos enchem minhas entranhas
Com uma mágoa quente e amarga
Que em lagrimas de fúria deixam meu corpo
Viro pro outro lado enfrentando emoções agressivas
Espancando meus intranquilos sentimentos
Nesse momento, minha pele transpira
Uma agonia espessa e venenosa
Que marca perfurando os caminhos da minha mente
É uma tortura silenciosa atormentada
Por uma felicidade pavorosa
Que insistentemente surge
Destruindo meus instantes de suavidade
Essa viagem que sangra nossa alma
Traz a sensação dolorosa que
Tudo vai dar certo
Após algumas voltas dos ponteiros do relógio
Meus braços já estão cansados
E no fundo da turbulência da minha massacrante
E adorável crise gosto de acreditar
Que tudo vai acabar bem.
Gabriel Sam
https://www.facebook.com/og.maron?fref=gs&dti=273400146147423&hc_location=group_dialog

Nenhum comentário:

Postar um comentário